quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Dia Internacional da Paz

O Dia Internacional da Paz celebrado hoje, foi declarado pela ONU em 30 de novembro de 1981.

A ONU proclamou esse dia como um dia de cessar-fogo e de não violência em todo o mundo. A finalidade não é apenas que as pessoas pensem na paz, mas que façam algo a favor da paz.

Segue abaixo uma lista dos últimos 25 premiados com o Nobel da Paz por terem contribuído a favor dela:

2010 - Liu Xiaobo (ativista chinês) "pela sua longa e não-violenta luta pelos direitos humanos fundamentais na China"

2009 - Barack Obama (presidente dos Estados Unidos) "por seus esforços extraordinários para fortalecer a diplomacia internacional e a cooperação entre os povos"

2008 - Martti Ahtisaari (ex-presidente da Finlândia), "por seus esforços em vários continentes, em mais de três décadas, para resolver conflitos internacionais" *

2007 - Al Gore (ex-vice-presidente dos EUA) e o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas, "pelos esforços em construir e disseminar grande conhecimento sobre as ações do homem na mudança do clima e por assentar os fundamentos para as medidas necessárias para contra-atacar tais mudanças"

2006 - Muhammad Yunus (economista de Bangladesh) e o Grameen Bank "por seus esforços em criar desenvolvimento econômico e social a partir de baixo [das camadas populares]"

2005 - Agência Internacional de Energia Atômica e Mohamed El Baradei (diplomata egípcio), "por seus esforços em prevenir o uso da energia nuclear com objetivos militares e por garantir que a energia nuclear para fins pacíficos seja usada da maneira mais segura possível"

2004 - Wangari Maathai (ativista ambiental do Quênia) "por sua contribuição para o desenvolvimento sustentável, à democracia e à paz"

2003 - Shirin Ebadi (ativista de direitos humanos iraniana) "por seus esforços pela democracia e pelos direitos humanos, especialmente nos direitos das mulheres e das crianças"

2002 - Jimmy Carter (ex-presidente dos EUA) "por décadas de esforço para encontrar soluções pacíficas para conflitos internacionais, para promover a democracia e os direitos humanos e o desenvolvimento econômico e social"

2001 - ONU e Kofi Annan (ex-secretário geral da ONU) "por seu trabalho por um mundo mais organizado e pacífico"

2000 - Kim Dae-jung (ex-presidente da Coreia do Sul) "por seu trabalho pela democracia e os direitos humanos na Coreia do Sul e no Sudeste Asiático de maneira geral, e pela paz e reconciliação com a Coreia do Norte em particular"

1999 - ONG Médicos Sem Fronteiras, "em reconhecimento ao trabalho humanitário pioneiro em diversos continentes"

1998 - John Hume (líder católico da Irlanda do Norte) e David Trimble (líder protestante da Irlanda do Norte) "por seus esforços em encontrar uma solução pacífica ao conflito na Irlanda do Norte"

1997 - Campanha Internacional para Banimento das Minas (ICBL) e Jody Williams (ativista americana) "por seu trabalho pela proibição de minas terrestres"

1996 - Carlos Filipe Ximenes Belo (bispo timorense) e José Ramos-Horta (presidente do Timor Leste) "por seu trabalho rumo a uma solução justa e pacífica para o conflito no Timor Leste"

1995 - Joseph Rotblat (físico britânico), Pugwash Conferences on Science and World Affairs [Conferências Pugwash sobre Ciência e Negócios Mundiais] "por seus esforços para diminuir o papel das armas nucleares na política internacional"

1994 - Yasser Arafat (líder palestino), Shimon Peres (ex-chanceler israelense), Yitzhak Rabin (ex-premiê israelense), "por seus esforços em estabelecer a paz no Oriente Médio"

1993 - Nelson Mandela e Frederik Willem de Klerk (ambos ex-presidentes da África do Sul) "por seu trabalho no fim pacífico do regime do apartheid e por assentar os fundamentos de uma nova e democrática África do Sul"

1992 - Rigoberta Menchú Tum (líder indígena da Guatemala) "em reconhecimento ao seu trabalho pela justiça social"

1991 - Aung San Suu Kyi (líder política de Mianmar) "por sua defesa não violenta da democracia e dos direitos humanos"

1990 - Mikhail Sergeyevich Gorbachev (último presidente da União Soviética), "por seu papel de liderança no processo de paz que hoje caracteriza partes importantes da comunidade internacional"

1989 - 14º Dalai Lama (líder espiritual do Tibete), por seus esforços pela liberação do Tibete sem o uso da violência
1988 - Forças de Paz da ONU, pelo papel das forças de paz na solução de conflitos armados

1987 - Oscar Arias Sánchez (presidente da Costa Rica) "por seu trabalho pela paz na América Central"

1986 - Elie Wiesel (ativista judeu-americano) por defender a justiça e a memória dos judeus mortos durante a Segunda Guerra Mundial





Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...